Ações sustentáveis para concepção de loteamentos ecológicos um Estudo de caso da Empresa Ellenco.

Odair de Almeida Ferreira, Teresa Dias de Toledo Pitombo, Rosana Borges Zaccaria, Andrea Kassouf Pizzinatto

Resumo


A preocupação com o meio ambiente, e também com os processos produtivos das empresas de modo geral, devido as grandes emissões de agentes poluidores na atmosfera e recursos hídricos, vem prejudicando a flora, fauna e comprometendo a qualidade de vida das pessoas, e afetando todo o eco sistema e a sobrevivência do nosso planeta. Isso tem levado muitos consumidores a repensarem em seus hábitos, optando muitas vezes em adquirir e consumir produtos que possuem práticas em pró a preservação do planeta, diversas empresas atentas a essas mudanças comportamental, e de fato comprometida com as práticas sustentáveis, tem realizados nos últimos anos mudanças na concepção de seus produtos contemplando ações ecológicas. Dessa forma, a proposta deste artigo é discutir as ações possíveis de serem implantadas pelas loteadoras em seus residenciais, de forma que possa tornar os empreendimentos compatíveis aos conceitos de sustentabilidade. A metodologia utilizada foi à bibliográfica por meio do método dedutivo, e também será baseada nas experiências da empresa Ellenco Empreendimentos Imobiliários Ltda, uma loteadora, a qual se destina em implantar projetos residenciais no estado de São Paulo, com o objetivo de identificação da concepção de loteamento com características sustentáveis da empresa. Por tanto, o objetivo da pesquisa é de apresentar as ações necessárias para a concepção de um loteamento sustentável. Em consonância com a bibliografia que trata do tema, e mais as análises de observação da empresa loteadora, foi possível identificar um conjunto de 18 ações em pró a sustentabilidade as quais poderão ser implantadas em um residencial. Chegando de forma consistente aos cumprimentos do objetivo e problemática da pesquisa, uma vez que a preocupação ao meio ambiente é uma necessidade real e deve ser consideras por todas as empresas, e também, considerando a existência de um nicho de mercado disposto a adquirir produtos ecológicos.


Palavras-chave


marketing; estratégia, sustentabilidade; loteamento.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei Federal nº 6.766, de 19 de dezembro de 1979. Dispõe sobre o Parcelamento do Solo Urbano e dá outras Providências. Brasília, DF. 1979. Disponível em: http://bit.ly/1zjkrrO . Acesso em 22 dez. 2014.

BOFF, Leonardo. O que é e o que não é. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2012.

DI NARDO, Sérgio A; CATANEO, Angelo. A Sustentabilidade na horta comunitária: qualidade de vida e geração de renda. ETIC - ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - ISSN 21-76-8498, Vol. 5, Nº 5, 2009. Disponível em: http://bit.ly/1DSJh5n . Acesso em 24 dez. 2014.

ECOCASA. Construções Ecológicas. Disponível em . Acesso em 24 dez. 2014.

ELLENCO. Quem somos. São Paulo, 2014. Disponível em: . Acesso em 23 dez. 2014.

IPT, Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo. Energia Solar. 2014. Disponível em: http://bit.ly/1DSJh5n . Acesso em 25 dez. 2014.

LIMA, Sérgio. F. Introdução ao Conceito de Sustentabilidade Aplicabilidades e Limites. CADERNOS DA ESCOLA DE NEGÓCIOS – UNIBRASIL. Vol. 4, Nº 4, 2006. Disponível em: http://bit.ly/1GazFkN . Acesso em 24 mar. 2015.

MARCONI, Maria A; LAKATOS, Eva. M. Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo: Editora Atlas, 2005.

MARTINS, Marcele S; ROMANINI, Ancioli; FABIANI, Denize; MASO, Guilherme, D. Ações sustentáveis para loteamento de habitação de interesse social no norte do Estado do Rio Grande do Sul. SEMINÁRIO NACIONAL DE CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS, 2012, Passo Fundo - RS. Anais Eletrônicos... Passo Fundo – RS, 2012. Disponivel em http://bit.ly/1GlB2Q3 Acesso em 25 dez. 2014

BRASIL, MMA, Ministério do Meio Ambiente. MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DOS CONSÓRCIOS PÚBLICOS. 2010. Disponível em: http://bit.ly/1yWylVD . Acesso em 26 dez. 2014.

NERBAS, Patrícia F. Contribuições para a sustentabilidade da paisagem: percepção ambiental no loteamento popular bom fim, são Leopoldo-RS. Porto Alegre. 2006. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/13436

OTTMAN, Jacquelyn A. As novas regras do marketing verde: Estratégias, ferramentas e inspiração para o branding sustentável. São Paulo – M. Books do Brasil Editora Ltda, 2012.

PAIVA, Teresa. Marketing verde. São Paulo: Amedina, 2011.

PORTILHO, Fátima. Sustentabilidade ambiental, consumo e cidadania. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

SILVEIRO, Guilherme B. A sustentabilidade dos loteamentos Picollo, Warzius e Cidade Compo III da Cidade de Pato Branco, criados a partir do plano diretor de 2008. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, Pato Branco-PR 2008.Disponivel em: http://bit.ly/1bls2Qc

SINDICONET. Como montar uma associação de moradores, 2011. Disponível em: http://bit.ly/1JxlZ6n . Acesso em: 26 dez. 2014

Serviço Limpeza Urbana. Coleta Seletiva. 2014. Disponível em: http://bit.ly/1gtMueK . Acesso em 26 dez. 2014.

REPORT OF THE WORLD COMMISSION ON ENVIRONMENT AND DEVELOPMENT: OUR COMMON FUTURE, Brundtland, Disponível em: . Acesso em 12 mar. 2015.

VALOR ECONÔMICO. Químicos inovam com tintas sem solventes. 2011. Disponível em http://bit.ly/1EhatMA . Acesso em 24 dez. 2014.

FUNDAÇÃO VANZOLINI. O Processo AQUA-HQE. 2014. Disponível em: http://bit.ly/1mdK7xH . Acesso em 27 dez. 2014

WORLD FAIR TRADE WEEK, Los Principios de Comercio Justo. Disponível em: . Acesso em 18 mar. 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O Caderno Profissional de Marketing Unimep (CPMark), Qualis B3, ISSN 2317-6466, está presente nos seguintes indexadores: 

 

 

 

 

Flag Counter